Skip to content Skip to footer

A importância das pessoas: o papel do gerente de loja

As pessoas são fundamentais em qualquer organização, com ou sem fins lucrativos. As organizações são compostas de pessoas para atender pessoas. Nas empresas varejistas o papel das pessoas é ainda mais fundamental.

Na loja onde estão os dois maiores patrimônios de qualquer negócio, os clientes e os produtos, que precisam ser cuidados com todo carinho, e na qual ocorre a experiência de compra, o papel do time se torna ainda mais relevante.

Se o papel do time da loja, composto por vendedores, operadores de caixa, repositores, pessoal de limpeza e outros, é cuidar bem dos produtos e dos clientes, proporcionando uma excelente Experiência de Compra, qual deve ser o papel do gerente que lidera esse time?

Eu tenho proposto que o nome de gerente de loja ou outro equivalente, deveria ser mudado para “Cuidador”, o qual deveria constar no crachá do profissional.

Aí vem a pergunta: porque cuidador? Se o papel de todo time da loja é cuidar bem dos clientes e dos produtos, o papel do gerente é cuidar bem dessas pessoas, para que elas estejam motivadas para cuidar bem dos clientes e dos produtos. Para que isso aconteça o gerente de loja precisa ser um verdadeiro líder e não um chefe.

O líder é aquele que orienta a equipe, mostra como faz, desenvolve pessoas, fala “nós”, dá crédito, gera entusiasmos e resolve os problemas. Por outro lado, o chefe controla os empregados, inspira medo, fala “eu”, usa as pessoas, recebe crédito e procura sempre culpados.

Gerente de loja: liderando na prática

Mas de forma simples e objetiva, qual seria o início para você, que tem a responsabilidade de liderar um time, começar ou aprimorar a sua jornada de liderança de gente? Vou propor algumas ações para mudar a percepção dos seus liderados sobre você.

Fomos condicionados, como chefe, a observar o que os nossos subordinados estão fazendo de errado para chamar a atenção. Mas se você quer ser um líder de verdade, precisa mudar a chave. Passe a observar o que os seus liderados estão fazendo certo para reconhecer e elogiar.

Existem dois tipos de pessoas: as que gostam de elogios e as mentirosas. De qual lado você está?

A partir da leitura deste texto você vai assumir um compromisso comigo: só vai chamar a atenção de alguém depois de fazer três elogios. Ninguém melhora se você só apontar seus erros e chamar a atenção. Melhora elogiando o que faz de bom.

Mas isso não se aplica somente no seu ambiente de trabalho. Pode ser adotado com seu esposo ou com a sua esposa, com seus filhos, ou seja, com todas as pessoas com as quais você convive. Agindo dessa forma, você vai se tornar uma pessoa melhor e fazer as pessoas que convivem com você mais felizes. Com isso, vai aumentar também o seu nível de felicidade.

O seu compromisso comigo é aplicar o princípio de três por um: só posso chamar a atenção de alguém depois que eu der três elogios. Você vai ver o quanto é difícil elogiar. Criticar é muito mais fácil.

Quando iniciamos a nossa vida profissional, desempenhamos somente habilidades técnicas. Um vendedor de loja, por exemplo, cujo resultado do trabalho depende somente dele. Por ser um excelente vendedor é promovido a gerente e o resultado do seu trabalho passa a depender do trabalho de um grupo de pessoas. Aí entram as habilidades humanas. Isto é, saber se comunicar e liderar pessoas. Portanto, para ser um bom gerente somente as habilidades técnicas não bastam. É preciso entender de gente.

O papel principal do líder com relação aos seus liderados

  • Se o liderado não sabe, o papel do líder é ensinar
  • Se o liderado não pode, o papel do líder é ajudar
  • Se o liderado não quer, o papel do líder é motivar

Em resumo, o líder deve avaliar constantemente os seus liderados e dar feedback, repetindo quantas vezes forem necessárias. Porém, se não apresentar os resultados esperados, o liderado precisa ser substituído. O que não deve é ser substituído sem antes passar pelo que denominamos de Ciclo Virtuoso da Liderança.

Espero que com a leitura deste artigo você possa iniciar ou aprimorar a sua jornada de liderança, passando de um técnico brilhante ou um chefe temido para um líder respeitado.

Juedir Teixeira – Doutor em Administração (Ph.D.), mestre em Gestão Estratégica de Negócios, consultor da área de Gestão de Negócios, palestrante, conselheiro do Conselho do Varejo – CDV da Associação Comercial de São Paulo e autor do livro “Gestão Estratégica de Negócios: Métrica de avaliação de Desempenho Organizacional”, da editora Gramma.

A importância das pessoas: o papel do gerente de loja